Rio de Janeiro – Cariocas bi-centenários (1808-2008)

Artigos Genealógicos

Cariocas Bi-centenários
1808-2008

Em uma época que muito se fala dos 200 anos da vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil, não poderia deixar de registrar a importância das “testemunhas da história”, ou seja, dos cariocas que nasceram na Cidade do Rio de Janeiro naquele ano de 1808, cujos pais, em sua maior parte, testemunharam a chegada do Príncipe Regente D. João, que deu entrada na baía de Guanabara no dia 7 de março, desembarcando no dia seguinte.

Segue uma relação de alguns Cariocas que nasceram há exatos 200 anos.

Carlos Eduardo de Almeida Barata
Junho de 2008.

Antonia Francisca da Costa Barros, nasc. a 07.11.1808, no Rio de Janeiro (Santa Rita), e falecida no mesmo ano. Filha do Capitão-Mor José da Costa Barros Viana do Amaral, e de Mariana Francisca da Fonseca Costa, ambos descendes de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI.

Antonio Alvares da Silva Pena, bat. a 24.09.1808, no Rio de Janeiro (Sacramento), filho de Manuel Alvares da Silva e de Maria da Pena. Foi casado duas vezes: a primeira, a 30.09.1837, no Rio de Janeiro (Sacramento), com Jesuína Rosa de Almeida; e, a segunda, a 17.03.1853, no Rio de Janeiro (Santana), com Camila Leopoldina Ribeiro, natural do Rio de Janeiro (Santa Rita).

Antonio Corrêa Lemos, nasc. a 20.09.1808, no Rio de Janeiro (São José), filho do capitão João Carlos Corrêa Lemos e de Luiza Maria Joaquina da Cunha e Melo.

Antonio do Canto e Castro Mascarenhas, nasc. em 1808, Rio de Janeiro (Sé). Filho do Chefe de Divisão Manuel do Canto e Castro Mascarenhas e de Francisca Maria Madalena Andolla. Casado a 18.04.1831, em Lisboa (Santos-o-Velho), com Maria Júlia Pio dos Santos. Com geração.

Antonio Maria de Castelo Branco, nasc. a 13.07.1808, no Rio de Janeiro, e falecido a 07.12.1827, em Coimbra – cônego da Sé Patriarcal de Lisboa. Filho de Antonio Maria Castelo Branco Corrêa e Cunha, 2º marquês de Belas, 7.º Conde de Pombeiro, 19º. Senhor de Pombeiro,  13º Senhor de Belas, 15º Senhor do Morgado de Castelo Branco, em Santa Iria, termo de Lisboa, 13º Senhor da Alcaidaria-mór de Vila Franca de Xira, e de Constança Manoel de Menezes.

Antonio Marmelo, nasc. a 21.10.1808, no Rio de Janeiro (Irajá), filho de Antônio de Souza Marmelo e de Francisca de Sampaio e Almeida. Francisca descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI.

Candido Pereira Monteiro, nasc. a 01.01.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), e falecido a 12.07.1860, no Rio de Janeiro (Glória). Tenente. Filho do Capitão Francisco Pereira Monteiro e de Gretrudes Josefa de Jesus. Casado com Emília Adelaide Ribeiro, nasc. cerca de 1815, na Bahia, e falecida a 06.06.1870, no Rio de Janeiro. Com geração.

Elisa Leopoldina Carneiro Leão, nasc. a 10.08.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), filha de José Fernando Carneiro Leão, Capitão do 1.º Regimento de Milícias da Cidade do Rio de Janeiro, e de Gertrudes Angélica Clara Pedra, assassinada no portão de sua chácara, em Laranjeiras, a mando da rainha D. Carlota Joaquina. José Fernando descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI. Elisa Leopoldina foi casada a 02.07.1829, no Rio de Janeiro (São José), com seu tio José Alexandre Carneiro Leão, nasc. a 28.03.1793, no Rio de Janeiro (Candelária), e falecido a 02.09.1863, no Rio de Janeiro. José Alexandre foi agraciado com o título de Visconde de São Salvador de Campos, por decreto de 11.09.1843, e também descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI.

Firmino Pereira Monteiro, nasc. a 30.12.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), e falecido a 25.09.1878, no Rio de Janeiro. Conselheiro, Ministro do Supremo. Filho do capitão Francisco Pereira Monteiro e de Gertrudes Josefa de Jesus. Casado com Maria Madalena Regueira Duarte, nascida possivelmente em Pernambuco.

Francisca de Paula Vilarinho Lemos, nasc. a 08.05.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), filha de Antônio José de Souza Vilarinho, contínuo da Intendência Geral da Marinha, e de Maria Jeronima Corrêa Lemos.

João Maria Pereira de Lacerda, nasc. em 1808, Rio de Janeiro (Candelária), e falecido a 31.12.1863, no Rio de Janeiro. Capitão de Mar e Guerra. Filho de Joaquim Antonio de Lacerda e de Maria Clara Pereira. Casado a 27.04.1829, no Rio de Janeiro, com Camila Leonor de Pontes, nasc. em 1802, em Lisboa, e falecida a 19.05.1878, no Rio de Janeiro. Com geração.

Joaquim Pio dos Santos, nasc. a 13.03.1808, no Rio de Janeiro (Sacramento), filho do Vice-Almirante Tristão Pio dos Santos, Ministro dos Negócios da Marinha, e de Gertrudes Carlota Alvares.

José Caetano de Almeida e Silva, nasc. a 30.07.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), comendador, filho do negociante Caetano José de Almeida e Silva e de Maria do Carmo França. Casado a 05.02.1842, no Rio de Janeiro (Santana), com Carolina Luiza Leopoldina Tavares, nasc. em 1819, no Rio de Janeiro [Engenho Velho], e falecida a 22.10.1878, no Rio de Janeiro.

José Maurício Nunes Garcia Júnior, nasc. a 10.12.1808, no Rio de Janeiro (São José), e falecido a 18.10.1884, no Rio de Janeiro. Médico conceituado, Cirurgião pela Academia Brasileira de Medicina e Cirurgia, prof. de Anatomia na Academia de Belas Artes. Filho do famoso músico carioca, Padre José Maurício Nunes Garcia, e de Severina Rosa de Castro. Casado a 22.09.1833, no Rio de Janeiro (Sacramento), com Ana Francisca da Silva. José Maurício Filho separou-se em Campos, em 1855, sob a alegação de que sua mulher desejava eliminá-lo.

José Ribeiro de Almeida, nasc. em 1808, Rio de Janeiro (Candelária), e falecido criança, cerca de 1810. Filho do  Tenente-Coronel Joaquim Ribeiro de Almeida, apelidado de “O Padre Eterno”, e de Maria Teresa da Silva.

Josefina da Fonseca Costa, nasc. a 18.11.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), e falecida a 04.06.1896, no Rio de Janeiro. Foi agraciada, sucessivamente, com os títulos de baronesa (Dec. 14.03.1877) e viscondessa com honras de grandeza da Fonseca Costa (Dec. 08.08.1888). Em 1880, quando ainda era baronesa, residia no Paço da Boa Vista. Dama de honra da Imperatriz. Filha do dr. José Maria da Fonseca Costa, aposentado no cargo de Provedor da Casa da Moeda da Corte do Rio de Janeiro, e de Libania Carneiro da Silva. José Maria descendes de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI.

Laura Clementina da Silva Pinto, nasc. a 02.12.1808, no Rio de Janeiro, e falecida a 09.01.1870, em Nova Friburgo. Foi, por seu casamento, baronesa de Nova Friburgo. Filha de João Clemente Pinto e de Teresa Joaquina da Silva. Casada com seu primo, Antonio Clemente Pinto, nasc. a 06.02.1795, em Nossa Senhora de Abobadela, Ovelha do Marão, Portugal, e falecido a 04.10.1869, no Rio de Janeiro. Foi, sucessivamente, agraciado com os títulos de barão (dec. 28.03.1854) e barão com honras de grandeza de Nova Friburgo [Dec. 28.04.1860].

Laureana José Gonçalves de Magalhães, nasc. em 1808, Rio de Janeiro (Candelária); irmã do poeta, barão e visconde de Araguaia Domingos José Gonçalves de Magalhães, filhos de Pedro Gonçalves de Magalhães Chaves.

Laurinda Rosa Ferreira dos Santos, nasc. a 07.11.1808, no Rio de Janeiro (Santa Rita), e falecida a 16.11.1881, em Bruxelas, Bélgica. Foi, por seu casamento, baronesa, viscondessa e condessa de Ipanema. Filha de José Ferreira dos Santos e de Mariana Rosa. Casada a 27.01.1827, no Rio de Janeiro (Candelária), com José Antonio Moreira, nasc. a 23.10.1797, em São Paulo (Sé), SP, e falecido a 28.06.1879, no Rio de Janeiro. Foi, sucessivamente, agraciado com os títulos de barão de Ipanema [Dec. 14.03.1847], barão com as honras de grandeza de Ipanema [Dec. 25.03.1849], visconde com as honras de grandeza de Ipanema [Dec. 02.12.1854] e, finalmente, conde de Ipanema [20.02.1868].

Leocádia Delfina de Barros, nasc. a 26.02.1808, no Rio de Janeiro (Candelária), e falecida a 30.05.1876, no Rio de Janeiro. Foi, por seu casamento, baronesa de Santa Clara. Filha do tenente Antonio de Souza Barros e de Clara Francisca do Amaral. Clara descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI. Leocádia casou em 1826, no Rio de Janeiro (Candelária), com Manuel Francisco de Albernaz, nasc. em 1802, no Rio de Janeiro, e falecido a 13.05.1875, no Rio de Janeiro, RJ. Fazendeiro em Guaratiba. Foi agraciado com o título de Barão de Santa Clara, em 28.12.1872.

Luiz da Costa Barros, bat. a 24.06.1808, no Rio de Janeiro (Santa Rita), e falecido a 29.11.1809, no Rio de Janeiro. Filho do Coronel Antônio da Costa Barros Gurgel do Amaral e de Ana Teodora de Mascarenhas. O Coronel Antônio descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI.

Luiza Bernarda de Figueiredo, nasc. a 30.05.1808, no Rio de Janeiro (Santa Rita), e falecida a 13.11.1873, no Rio de Janeiro. Foi, por seu casamento, Marquesa de Olinda. Filha do Dr. José Bernardo de Figueiredo, Ministro do Supremo Tribunal de Justiça, e de Luiza Alexandrina Preciosa da Mota. Casada a 05.06.1828, com Pedro de Araújo Lima, nasc. a 22.12.1793, no Engenho Antas, Serinhaém, Pernambuco, e fal. a 07.06.1870, no Rio de Janeiro. Foi agraciado, sucessivamente, com os títulos de  Visconde de Olinda (18.07.1841), e Marquês de Olinda (02.12.1854). Regente do Império.Com geração.

Manuel Bernardes Velho da Veiga, nasc. a 17.05.1808, no Rio de Janeiro (Sacramento), advogado em São Paulo, filho do desembargador Manuel Bernardes Pereira da Veiga, barão de Jacutinga, e de Matilde Carolina Adelaide Velho da Silva.

Manuel de Jesus Valdetaro – nasc. em 1808, Rio de Janeiro (Candelária), e falecido a 16.08.1897, no Rio de Janeiro. Visconde de Valdetaro. Filho de outro Manuel de Jesus Valdetaro e de Joana Gualberta Joaquina Freire. Magistrado. Auditor de Guerra na Corte. Desembargador do Tribunal da Relação da Corte. Chefe de polícia da Corte. Presidente da província do Rio de Janeiro. Presidente do Tribunal do Comércio. Ministro do Supremo Tribunal de Justiça. Agraciado, sucessivamente, com os títulos [Dec. 20.11.1886] de visconde de Valdetaro, e [Dec. De 25.09.1889] visconde com honras de grandeza de Valdetaro. Com geração.

Maria Amalia Nascentes de Azambuja, nasc. a 27.01.1808, no Rio de Janeiro (Santa Rita), e falecida a 23.06.1890, em Petrópolis, RJ. Era zeladora das Servas do Senhor. Filha do Tenente-Coronel Manuel Teodoro de Araújo e Azambuja e de Maria Rita Nascentes Pinto. Casada a 03.05.1830, na Capela do Menino Deus, na rua de Matacavalos, Rio de Janeiro, com o diplomata Pedro Carvalho de Morais, nasc. a 03.06.1809, no Rio de Janeiro (Copacabana), e fal. a 31.12.1860, em Bruxelas – Bélgica. Pedro descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI. Com geração.

Maria Carlota de Almeida Portugal, bat. a 25.12.1808, no Rio de Janeiro (São José), afilhada da princesa Carlota Joaquina, e falecida a 19.04.1901, no Rio de Janeiro. Filha do brigadeiro Lourenço Maria de Almeida Portugal e de Mariana Teodora Nolasco Pereira da Cunha. Casada em Campos dos Goitacazes, região norte do Estado do Rio de Janeiro, com o comendador Bento Benedito de Almeida Batista, natural de Campos, Rio de Janeiro.

Maria da Fonseca Costa, nasc. a 25.01.1808, no Rio de Janeiro (São José), filha do brigadeiro Manuel Alvares da Fonseca Costa e de Maria da Piedade Mendes Viana.

Maria de Sousa Lobato, bat. a 09.12.1808, no Rio de Janeiro (Sacramento), filha de Joaquim José de Souza Lobato, 2º visconde de Magé, e de Maria Clementina de Araújo e Albuquerque.

Maria José Barroso de Souza, nasc. em 1808, Rio de Janeiro (Candelária), filha do desembargador Francisco Lopes de Souza de Faria Lemos e de Maria Ines de Souza Barroso.

Maria Leonor Carneiro Viana, nasc. a 26.06.1808, no Rio de Janeiro (Sé), e falecida a 30.05.1826. Foi, por seu casamento, viscondessa de Cunha. Filha do Dr. Paulo Fernandes Viana, desembargador e chefe de Polícia da Côrte, e de Luiza Rosa Carneiro da Costa. Luiza Rosa descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI. Maria Leonor casou a 20.09.1823, no Rio de Janeiro (Engenho Velho), com Francisco da Costa de Souza de Macedo, nasc. a 09.05.1788, em Santa Catarina do Monte Sinai, patriarcado de Lisboa, e falecido a 16.08.1852, em Lisboa. Foi agraciado sucessivamente, com o titulo de 1º visconde de Cunha, por decreto de 12-10-1825, de D. Pedro I, imperador do Brasil; elevado a 1º marquês de Cunha, pelo decreto de 12.10.1826, do mesmo Imperador.

Maria Quintanilha Jordão, bat. a 25.02.1808, no Rio de Janeiro (Sacramento), filha do ajudante do 1.º regimento de Linha  João Florencio Jordão e de Angélica Maria da Silva. Angélica descende de família de povoadores da Cidade do Rio de Janeiro, no século XVI.

Maria Teresa de Jesus, bat. a 08.12.1808, bat. no Rio de Janeiro (Candelária), filha do Sargento-Mor Francisco Antonio Machado Coelho e de Mariana Rita de Bulhões.

Maria Teresa de Laet, nasc. a 26.01.1808, no Rio de Janeiro ( Candelária), filha de Joaquim Ferreira Pimenta de Laet e de Joaquina Rosa Duarte. Casada a 15.02.1830, no Rio de Janeiro (Engenho Velho), com João Francisco Ferreira, natural de São Julião de Freitas, Portugal.

Maria de Noronha, bat. a 26.04.1808, no Rio de Janeiro (São José), filha de Manuel Moniz da Câmara Noronha e de Arcangela Rosa da Conceição.

Narcisa Violante Villovy Sayão, bat. a 11.09.1808, no Rio de Janeiro (Sé), e falecida a 22.08.1883, no Rio de Janeiro – solteira. Filha do Brigadeiro Antonio Xavier de Souza Sayão e de Maria Inácia Villovy de Araújo.

Venancio Correa de Sá, bat. a 06.05.1808, no Rio de Janeiro (Sacramento), filho do Capitão de Fragata Pedro Borges Correa de Sá e de Teresa Rita de Sá.