CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Clotilde Santa Cruz Tavares
Sócios Titulares

Clotilde Santa Cruz Tavares

Clotilde Tavares

Nasceu em Campina Grande, Paraíba, em 14 de dezembro de 1947, filha de Nilo Tavares e Cleuza Santa Cruz Tavares. Neta paterna de Bráulio Fernandes Tavares e Clotilde Pereira; neta materna de Pedro Quirino Ferreira e Inês Duarte Salgado de Vasconcelos. Irmã do escritor Bráulio Fernandes Tavares Neto, do professor universitário Pedro Quirino Ferreira Neto e da socióloga Inês Santa Cruz Tavares. Casou duas vezes, tendo os filhos: do 1º casamento, Rômulo [1968], que lhe deu os netos Isabela e Marcelo; e do segundo, Ana Morena [1979].

Cursou o ensino médio na cidade natal. Como o fim do primeiro casamento, retomou os estudos, ingressando na Faculdade de Medicina da UFRN em 1970, colando grau em 1975. No ano seguinte, era admitida como professora universitária na mesma universidade, no Departamento de Saúde Coletiva e Nutrição. Em 1983 obteve o título de Mestre em Nutrição em Saúde Pública pela UFPE – Universidade Federal de Pernambuco.

Radicada em Natal-RN, dedicou-se à pesquisa no campo da Saúde Pública, e ao magistério universitário, lecionando Nutrição em Saúde Pública, Nutrição Normal, Epidemiologia e Estatística para os cursos de Medicina, Enfermagem, Nutrição e Fisioterapia. Obteve grau de especialista em Epidemiologia em 1990, foi fundadora do NESC – Núcleo de Estudos em Saúde Coletiva e desenvolveu pesquisas no campo da Nutrição em Saúde Pública, publicando inúmeros trabalhos e participando de congressos e encontros científicos na área.

Em 1993, levada por vocação e inquietude intelectual, transferiu-se para o Departamento de Artes do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes da UFRN, onde passou a ensinar Interpretação Teatral, Literatura Dramática e Folclore Brasileiro, entre outras disciplinas. Apesar da formação na área de saúde, sempre atuou no teatro e na literatura, prática que começou na juventude. Como atriz e dramaturga ganhou prêmios, teve peças encenadas em diversos estados do Brasil, e produziu ensaios e artigos críticos publicados em jornais e revistas. Aposentou-de da docência universitária em 2002.

Dedicada ao folclore e à cultura popular, seu primeiro folheto de cordel foi publicado em 1974. É a terceira mulher mais antiga a escrever folhetos de cordel no Nordeste, fato documentado pela pesquisadora Fanka Santos, da universidade de Poitiers-França.

Na música, integrou a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte como violoncelista.

Na área de história da família, seus interesses são a história colonial do Nordeste; as genealogias das casas reais inglesas – Tudors, Plantagenetas, Lancaster, York, em razão de sua paixão por Shakespeare; e, evidentemente, sua própria família, o clã Santa Cruz, que vem estudando e documentando desde 2006.

Além do Colégio Brasileiro de Genealogia, é membro de inúmeras associações culturais: Comissão Estadual do Folclore do RN – fundadora; Associação Estadual de Poetas Populares do Rio Grande do Norte – sócia honorária; Conselho Consultivo da Sociedade Brasileira de Estudos do Cangaço – Mossoró, RN; SBAT – Sociedade Brasileira de Autores Teatrais; Instituto Histórico e Geográfico do Cariri; Instituto Paraibano de Genealogia e Heráldica – Cadeira nº 2, Patrono Olavo de Medeiros Filho; Instituto Norte-Riograndense de Genealogia (fundadora).

Desenvolveu vários projetos culturais, destacando-se o “Viajando o Sertão, 65 anos depois”, refazendo em 1999 o trajeto que Câmara Cascudo fez em 1934, tendo ministrado palestras em 12 municípios do trajeto de quase 2.000 quilômetros pelo sertão do Rio Grande do Norte; e o projeto “Sala de Leitura”, que funcionou de 2001 a 2003 na livraria AS Livros, em Natal-RN com mais de 100 encontros com escritores, aproximando-os do público leitor.

Foi curadora literária de eventos importantes realizados em Natal-RN e João Pessoa-PB: Circuito Cultural Banco do Brasil – 2003, Natal-RN, Bienal Nacional do Livro de Natal – RN – 2002, 2003 e 2005, e Bienal Nacional do Livro da Paraíba, 2006.

Publicou trabalhos em revistas, foi membro de comissões julgadoras e bancas examinadoras, e curadora de exposições de artes plásticas. Conferencista, vem ministrando cursos e palestras sobre vários temas, (teatro, cultura popular, literatura, empreendedorismo e desenvolvimento humano) em empresas e instituições diversas, como Detran-RN, Petrobrás, Banco do Brasil, Universidade Estadual da Paraíba, Sebrae, UFPB, entre outras.

Dedica-se atualmente à Literatura, à Genealogia e aos estudos na área da Cultura Popular, nos temas cantoria de viola e literatura de cordel. Assina coluna semanal  nos jornais A União e Correio da Paraíba, ambos de João Pessoa. Na Internet, coordena as listas de discussão Teatro Vivo, Fórum Cultural de Natal e Umas & Outras.  Mantém o blog Umas & Outras, com atualização diária.

PUBLICAÇÕES

  • “A Vida e obra de Xico Santeiro, glória da nossa arte popular.” Natal, Fundação José Augusto, 1976. (Folheto de cordel).
  • “Esperando Paulinho”. In: “Cinco Contistas Potiguares”. Natal, Fundação José Augusto, 1975. (Trabalho premiado no Concurso Cinco Contistas Potiguares, promovido pela Fundação José Augusto).
  • “A triste sina de Ritinha que criou seu filho sem dar de mamar”. Natal, EMATER, 1981. (Folheto de Cordel,elaborado para a Campanha de Incentivo ao Aleitamento Materno).
  • “Um azul à tarde”. In: “Nossa cidade Natal-crônicas”. Natal, Prefeitura Municipal, 1984.
  • “O nascimento de um menino chamado Jesus”. Natal, Ed. do Autor, 1984. (Folheto de cordel)
  • “A vida de Quincoló Boiadeiro, bravo vaqueiro nordestino”. Natal, Ed. do Autor, 1986. (Folheto de Cordel).
  • “Bilhetes de Suicida”. Natal, Editora Universitária, 1987. (poemas)
  • “Iniciação à Visão Holística”. Rio de Janeiro, RECORD, 1998, 4a. edição. (ensaio)
  • “A Magia do Cotidiano”. Natal, Ed. Cnews, 1999. (ensaio)
  • “A Botija”. Natal, AS Editores, 2003. (Novela, ganhou o Prêmio Câmara Cascudo da Prefeitura Municipal de Natal no ano de 2000).
  • “A Agulha do Desejo”. Natal, Edições Engenho de Arte, 2003 (Crônicas).
  • “A Vida e a Obra do Padre Malagrida, o Santo Andarilho do Nordeste”. Natal, Edições Engenho de Arte, 2005. (Folheto de cordel)
  • “A Magia do Cotidiano”. (reedição) São Paulo, Efitora A Girafa, 2005. (ensaio)
  • “Natal, a Noiva do Sol”. São Paulo, Cortez, 2005 (Literatura Infanto-Juvenil)
  • “A Botija”. (reedição) São Paulo, Editora 34, 2006 (Novela)
  • “Coração Parahybano”. João Pessoa, Edições Linha Dágua, 2008 (crônicas),
  • “O Clã Santa Cruz: genealogia e história.” João Pessoa, edição do autor, 2007, disponível no endereço www.clotildetavares.com.br/genealogia.

ESPETÁCULOS DE TEATRO

  • “Gira de Valentia” e “Viagem em Torno de Nós Mesmos”, direção de Racine Santos, nos anos de 1970 e 1971. (Atriz)
  • “Fogo Fátuo”, de Lourdes Ramalho, direção de Hermano José, (Autora da música)
  • “Papai Pirou nas Ondas do Rádio”, de Guto Greco, direção de João Marcelino, em cartaz de 1991 a 1993. (Atriz principal)
  • “Jerimum Pós-Moderno”, sob a direção de Marcos Bulhões, em 1992. (Atriz e autora dos textos)
  • “O Moço que casou com Mulher Braba”, direção de João Marcelino, em 1993. (Adaptação do texto)
  • “A Farsa dos Opostos”, direção de João Marcelino em 1994. (Adaptação do texto)
  • “A Maldição de Blackwell”, com direção de Marcos Bulhões, 1995. (Autora do texto, atriz principal e produtora executiva).
  • “O Romance do Pavão Mysteriozo”, direção de Marcos Bulhões, 1995. (Atriz principal e autora da adaptação do texto e da música, produtora executiva).
  • “Auto de Natal 2001”, promovido pela Prefeitura Municipal de Natal, com direção de Gringo Cardia. Dezembro de 2001. (Autora do texto)
  • “Esperando Godot”, de Samuel Beckett, direção de Marcos Bulhões. Agosto de 2002. (Atriz principal)
  • “Auto de Natal 2002”, promovido pela Prefeitura Municipal de Natal, com direção de Marcos Bulhões. Dezembro de 2002. (Autora do texto)
  • “Alguém Lá Fora”. Natal, setembro de 2004. (Autora do texto e diretora e produtora executiva.)

CINEMA

  • Participação, como atriz, no documentário “Uma cruz, uma estrada, uma história”, dirigido por Wilson Freire, selecionado como representante do estado de Pernambuco no projeto DOC-TV III da TV-Cultura, lançado em pré-estréia no Recife em 19 de março de 2007 e nacionalmente pela rede de Tv educativa em 5 de maio.

TÍTULOS E PRÊMIOS

  • Menção honrosa no Concurso Literário “Otoniel Menezes”- 1984, promovido pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura, com o trabalho “Itinerário da Solidão”.
  • Prêmio de Melhor Atriz no XVI Festival de Inverno de Campina Grande, PB/ Mostra Nacional de Teatro, com o espetáculo “Papai Pirou nas Ondas do Rádio”, em 1991.
  • Prêmio Câmara Cascudo, da Prefeitura Municipal de Natal, com a novela “A Botija”, em dezembro de 2000.
  • Homenagem da Câmara Municipal de Natal pelos serviços prestados à cultura, em 11 de maio de 2004.
  • Voto de aplauso do Conselho de Cultura do Estado da Paraíba pela implantação do site Cordel On Line, em dezembro de 2005.
  • Voto de aplauso do Conselho de Cultura do Estado da Paraíba pelo projeto O Cordel Está no Ar, em março de 2006.