CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Vicente Costa Santos Tapajós
Sócios Honorários

Vicente Costa Santos Tapajós

Nasceu em Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, em 20 de fevereiro de 1916. Filho de Luciano de Miranda Reis Tapajós e Noêmia Costa Santos Tapajós.

Fez os primeiros estudos na cidade natal, entrando, depois, para o Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro, então Distrito Federal, em 1928, lá estudando até 1930, quando seu pai precisou deixar a cidade por conta da vitória de Getúlio Vargas. Em Porto Alegre, aos 14 anos, passa a freqüentar o Colégio marista Nossa Senhora do Rosário, por pouco tempo, interrompendo os estudos e indo trabalhar Diário de Notícia, sucursal de Porto Alegre. Mais tarde, volta ao Rio de Janeiro e termina o secundário no Colégio Rezende. Formou-se em História, na Faculdade de Filosofia, da Universidade do Brasil (então Univ. do Distrito Federal), no Rio de Janeiro.

A maior parte de sua vida foi dedicada à difícil missão de educar e ensinar, atuando como professor de História por mais de 50 anos, num contato diário e proveitoso com a juventude, à qual transmitiu sadios sentimentos de brasilidade, civismo e amor à terra natal. Recém-formado, lecionou em colégios particulares e em 1952 entra para o corpo docente do Colégio Pedro II, onde ficou por 13 anos, tendo atuado nas seções Centro, Engenho Novo e Humaitá.

Lecionou também no Instituto de Educação, onde era Catedrático de História; por 20 anos, na Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde foi lente do Instituto de Filosofia e Ciências Sociais [1970-1980] e Orientador do mestrado em História; na  Universidade Santa Úrsula, onde chefiou o Departamento de História; na Universidade Gama Filho e no Instituto Rio Branco, do Itamarati. Foi Chefe do Departamento de História da ADESG – Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra.

Foi Coordenador e Professor do Curso do Artigo 91 da Rádio Roquete Pinto, e Assessor de História da TV Educativa, além de atuar na Rádio Ministério da Educação e na TV-Rio, prestando deste modo relevante contribuição à educação do país. Integrou os Conselhos Diretor da Associação Brasileira de Educação e Editorial da Bibliex – Biblioteca do Exército.

Agraciado com vários títulos e comendas, entre elas a Medalha do Pacificador, era membro da Academia Portuguesa de História (Acadêmico de Mérito); dos Institutos Históricos e Geográficos do Amazonas e do Rio Grande do Norte; dos Institutos Históricos de Petrópolis-RJ (Sócio Emérito) e Niterói-RJ.

Membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, desde 1984, ocasião em que já apresentava um currículo de 4 cursos especializados na área de história e problemática brasileiras; 5 postos como professor e orientador de cursos; associação a 10 entidades culturais; 10 medalhas e diplomas; 49 conferências proferidas; 15 livros didáticos e 15 outros não didáticos. Fez parte da Comissão de Pesquisas Históricas e ocupou a presidência de 1992 a 1995 – depois de basicamente todos seus antecessores serem formados em Direito e com atividade relevante no serviço público e/ou na vida política, foi o primeiro presidente do IHGB formado num curso regular de História.

Associou-se ao Colégio Brasileiro de Genealogia em 1956.

Escreveu inúmeros livros didáticos sobre História, que muito contribuíram para tornar mais atraente e eficaz o ensino desta disciplina e inúmeras obras, entre as quais destacamos a “História da América” e a “História Administrativa do Brasil”, escritas com a melhor técnica da ciência histórica e que o definem, é justo reconhecer, como um grande historiador.

Casou-se em 25 de maio de 1940 com Léa e faleceu no Rio de Janeiro, no dia 18 de fevereiro de 1998, na antevéspera de completar 82 anos.

Sua obra de pesquisa histórica o define como um pesquisador instigado por uma curiosidade intelectual infindável, realista e honesto nas conclusões de suas investigações. Algumas obras de sua autoria:

  • Em Torno da  Tragédia do Coruripe;
  • Duarte Coelho, fundador de Pernambuco;
  • O Regime das Capitanias Hereditárias;
  • A Política Administrativa de D.João III;
  • Organização Política e Administrativa do Império
  • Organização Política e Administrativa do Ministério da Justiça no Império – em parceria com Américo Jacobina Lacombe;
  • A História do Desenvolvimento Econômico do Brasil;
  • Dicionário Biobibliográfico de Historiadores, Geógrafos e Antropólogos Brasileiros – pelos 150 anos do IHGB – Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Fontes : Jeronymo Ferreira Alves Netto – Instituto Histórico de Petrópolis; Dicionário Biobibliográfico Regional do Brasil – Mário Ribeiro Martins; Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro – Revistas IHGB.