CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Nicolau Antônio Nogueira Valle da Gama
Patronos

Nicolau Antônio Nogueira Valle da Gama

Visconde de Nogueira da Gama

Nasceu em Minas Gerais, na fazenda São Mateus, hoje município de Matias Barbosa a 13 de setembro de 1802, filho do capitão-mor Coronel José Inácio Nogueira da Gama e Francisca Maria do Vale de Abreu e Melo.

Exerceu vários cargos políticos: vereador na Câmara Municipal de Barbacena, presidente da Câmara Provincial de Ouro Preto, suplente de deputado geral por Minas Gerais, na 5ª legislatura (setembro a outubro de 1843).

Era gentil-homem da Imperial Câmara, fidalgo cavaleiro da Casa Imperial e guarda-roupa e porteiro da Imperial Câmara. Foi também membro do Conselho de Sua Majestade e comandante da Guarda Nacional  na província de Minas Gerais.

Recebeu diversos títulos honoríficos: foi cavaleiro da Ordem de Cristo, oficial da Ordem da Rosa e Grã-Cruz das Ordens de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa, em Portugal; de Santana, da Rússia e de Francisco José, da Áustria.

Em 17 de julho de 1872 foi agraciado pelo Imperador D. Pedro II com o título de Barão de Nogueira da Gama, passando a Visconde, com honras de grandeza, em 8 de agosto de 1888.

Casou-se em 01 de novembro de 1838 com Maria Francisca Calmon da Silva Cabral, nascida no Rio de Janeiro, filha do desembargador conselheiro Francisco Xavier da Silva Calmon e Ana Romana Calmon de Araújo, irmã da 1ª Baronesa de Sande, em Portugal e do 1º Barão de Itapagipe.

Nicolau e Maria Francisca foram pais de José Calmon Nogueira Vale da Gama, Conde de Baependi; Francisca Calmon Nogueira Vale da Gama, 3ª Condessa de Penamacor, Portugal; e Maria Francisca Calmon Nogueira Vale da Gama, Baronesa de Moniz de Aragão.

O patrono da Cadeira 14 faleceu  em Nazaré, na Bahia, em 18 de outubro de 1897.

Chamado pelo Cônego Trindade de “primeiro genealogista mineiro”, deixou uma obra clássica na genealogia de Minas Gerais:

  • Genealogia das Famílias Botelho, Arruda, Sampaio, Horta, Paes Leme, Gama, Villas Boas até seus Atuais descendentes, publicada pela Tipografia Universal Laemmert, do Rio de Janeiro, em 1859.em 1869

além de um volume de Memórias.