CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Orlando Marques Cavalcanti de Albuquerque
Patronos

Orlando Marques Cavalcanti de Albuquerque

Considerado o pai da moderna genealogia pernambucana, nasceu no Recife, Pernambuco, a 15 de outubro de 1919, filho de Alfredo Marques Cavalcanti, misto de fazendeiro, senhor de engenho e alto comerciante, e  Noeme Carneiro Leão.Neto paterno de Herculano de Mello Cavalcanti e Dina Marques de Albuquerque; neto materno do Dr. Laurindo Carneiro Leão e Maria Felicíssima Carneiro da Cunha.

Fez seus primeiros estudos no Externato Julio Pires e no Instituto Carneiro Leão; os  estudos secundários foram cursados no Liceu Pernambucano, matriculando-se  depois na Faculdade de Direito de Alagoas, mas bacharelando-se pela Faculdade de Direito do Recife (para onde se transferiu) em 1944.

Foi promotor, juiz, professor universitário.

Genealogista desde a mocidade, ao longo de quase cinqüenta anos revirou arquivos recompondo a genealogia de várias das principais famílias nordestinas. Diz Reinaldo Carneiro Leão: “Era um purista, tendo verdadeira argúcia em descobrir os melhores e mais importantes processos, inventários, testamentos, habilitações matrimoniais, etc., existentes nos cartórios e igrejas da capital e do interior”.

Foi um dos fundadores do Instituto Genealógico de Pernambuco em 1943. Deixou extensa produção de artigos no jornal Diário de Pernambuco, no período de 1965 a 1967, onde mantinha uma coluna intitulada “Genealogia e História”, depois modificada para “Notas Pernambucanas”. Conhecem-se dessa série nada menos de 110 artigos.

Era pesquisador do Instituto Joaquim Nabuco de Pesquisas Sociais. Publicou verbetes genealógicos sobre titulares pernambucanos do Império na revista Tradição e nas edições do Instituto Genealógico Brasileiro, além de incontáveis artigos nas revistas Anuário Genealógico Latino, Anuário Genealógico Brasileiro e Revista Genealógica Latina..

Foi membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico de Pernambucano, dos Institutos Históricos da Bahia, São Paulo, Ceará e Pará, do Instituto Genealógico Brasileiro e do Colégio Brasileiro de Genealogia, onde ingressou, como sócio correspondente, em 1951.

Publicou o livro Retrospecto e recebeu várias comendas e medalhas ao longo de sua vida. Casou-se com Risalva Tenório de Albuquerque e faleceu em Olinda, Pernambuco, em 12 de setembro de 1984.