CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Jorge Godofredo Schell Felizardo
Patronos

Jorge Godofredo Schell Felizardo

Natural do Rio Grande do Sul, filho do Dr. Joaquim José Felizardo Jr. e de D. Ana Acristina Barcelos Schell Felizardo, nasceu em Porto Alegre a 09.11.1901.

Diplomou-se em 1923 no curso de Engenheiros Agrônomos da Escola de Agronomia e Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, na época Universidade de Porto Alegre.

Foi professor catedrático da cadeira de Zoologia Agrícola do curso de Engenheiros Agrônomos da mesma universidade, tendo iniciado suas atividades didáticas em 1924. Na mesa Universidade, foi professor catedrático da cadeira de Zoologia no curso de História Natural da faculdade de Filosofia, desde sua fundação em 1942. Professor catedrático da cadeira de Zoologia do curso de História Natural da Faculdade de Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, desde sua fundação.

Exerceu também os cargos de: Diretor da escola de Agronomia e Veterinária da UFRS; Diretor da Faculdade de Filosofia da PUC do Rio Grande do Sul; Superintendente do Ensino Profissional da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do RS; Professor de História Universal da Escola Técnica Parobé; Presidente do Sindicato de Agronomia do RS e da Sociedade de Agronomia do RS.; Chefe de Zootecnia da Diretoria de Produção Animal da Secretaria de Agricultura do Rio Grande do Sul.

Foi membro das seguintes instituições: efetivo, fundador e Presidente Perpétuo do INGERS- Instituto de Estudos Genealógicos do RS; efetivo e fundador da Sociedade de Agronomia do RS; efetivo e fundador da Sociedade de Biologia do RS; efetivo da Associação Riograndense de Imprensa; efetivo e do Grande Conselho do Instituto Genealógico Brasileiro, em São Paulo; correspondente do Instituto Histórico e Geográfico de MG; da Sociedade Brasileira de Geografia, do Instituto Genealógico da Bahia, do Colégio de Armas e Consulta Heráldica do Brasil e do Instituto Histórico da Ilha Terceira (Açores);honorário do Instituto Heráldico Genealógico de São Paulo, do Colégio Heráldico da Costa Rica, do Imperial Instituto Heráldico “Philoteo”. Cavaleiro de Honra da Soberana Ordem Imperial de Constantino, o Grande. Sócio correspondente do Colégio Brasileiro de Genealogia (Boletim do Colégio Brasileiro de Genealogia, N.º 6, 02.1989, fl.2).

Casou-se na Igreja Nossa Senhora Madre de Deus, em Porto Alegre, a 23.02.1927, com Maria Paula Azambuja, nascida em Porto Alegre em 18.03.1900 e falecida em 10.08.1988, filha de Marcos Antônio Alves de Azambuja, de Porto Alegre, e Francisca de Paula e Silva, de Santa Maria. Foi pai  de um único filho, Luís Paulo de Azambuja Felizardo. Faleceu em sua cidade natal, Porto Alegre, com 64 anos, em 01.02.1966.

Três anos após seu falecimento, todo seu arquivo genealógico foi entregue à Seção de Estudos Genealógicos da Cúria Metropolitana, Arcebispado de Porto Alegre.

Deixou extensa bibliografia (26 títulos de caráter histórico e genealógico), da qual destacamos:

  • Achegos Genealógicos aos Titulares do Império, na Revista Genealógica Brasileira, ano 7, n.13, p. 173, 1946;
  • Adendo a Silva Leme – Anhaya Pedroso, na Revista Genealógica Latina, ano 3, n.3, p. 99, 1951;
  • Adendo a Silva Leme – Baltazar Corrêa Moreira, na Revista Genealógica Latina, ano 4, n.,4, p. 133, 1952;
  • Antônio Adolfo Schramm e sua descendência, na revista do Museu Júlio de Castilhos, Arquivo Histórico do RS, ano 3, n.4, p. 5, 1954;
  • Antonio de Souza Sardinha, Anais do III Congresso Sul-Riograndense de História e Geografia, vol. 3, p. 1929, 1940;
  • O Barão de Gravataí- João Batista da Silva Pereira, nos  Anais do III Congresso Sul-Riograndense de História e Geografia, vol. 3, p. 1911, 1940;
  • Bento José Martins –  nos Anais do III Congresso Sul-Riograndense de História e Geografia, vol. 3,  p. 1959, 1940;
  • Um caso de xipofagia no Rio Grande do Sul –  Contribuição à história genealógica do Rio Grande do Sul  – nos Anais do III Congresso Sul-Riograndense de História e Geografia, vol. 3, p. 1983, 1940;
  • Descendência de Jerônimo de Ornelas Menezes e Vasconcelos –  Capítulo I – Fabiana de Ornelas, na Revista Genealógica Brasileira, ano 3, n.5, p. 215, 1942;
  • Francisco Ferreira dos Santos e sua descendência, com Paulo Xavier, extrato do trabalho inédito: “Os Figueiredos de Minas Gerais no Rio Grande do Sul”, separata da Família Monteiro de Barros por Frederico de Barros Brotero, São Paulo, 1951;
  • Francisco Xavier de Azambuja e sua descendência, na Revista do Museu Júlio de Castilhos e Arquivo Histórico do RS, ano 1, n. 2, p. 5, 1952;
  • Genealogia Riograndense – Carneiro da Fontoura, em parceria com João Pinto da Fonseca Guimarães, Livraria do Globo, vol. 1, 1937;
  • João Rodrigues da Silva e sua descendência, em parceria com Carlos G. Rheingantz, Gráfica Guarany, Rio de Janeiro, 1953;
  • Linhagens Baianas no Rio Grande do Sul , trabalho (cópia datillografada) apresentado no I Congresso de História da Bahia, 44 p., 1949;
  • Luiz de Figueiredo Leitão e sua descendência, em parceria com Paulo Xavier, na Revista do Museu Júlio de Castilhos e Arquivo Histórico do RS, ano 2, n. 3, p. 5, jan 1953;
  • Manoel José de Alencastre e sua descendência, na revista Genealógica Latina, ano 4, n. 6, p. 77, 1954;
  • Notas Genealógicas sobre o Dr. Joaquim Francisco de Assis Brasil, na Revista Genealógica Brasileira, ano 1, n. 2, p. 445, 1940;
  • O Patriarca do Rio Grande do Sul, na Revista do Instituto Histórico e Geográfico do RS, n. 94, p. 206, 1944;
  • O Sesmeiro do Morro de Santana, na Revista Genealógica Brasileira, ano 1, n. 1, p. 35, São Paulo 1940;
  • A Apreciação Biológica dos Quadros Ascendentes [pós-morte], in Boletim do Colégio Brasileiro de Genealogia, n. 9, p. 1, 1989.