CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Carlos Grandmasson Rheingantz
Patronos

Carlos Grandmasson Rheingantz

Nasceu em Petrópolis-RJ a 13 de fevereiro de 1915 e faleceu em Petrópolis, Rio de Janeiro a 15 de agosto de 1988.

Formou-se em Engenharia, carreira que depois viria a abandonar para dedicar-se ao ramo de corretagem de seguros. Pesquisador incansável, mergulhou fundo nos registros paroquiais do Rio Colônia e Império, legando à genealogia brasileira um volume espantoso de dados e informações. Bolsista da Fundação Gulbenkian, completou em Portugal os levantamentos iniciados no Rio de Janeiro.

Um dos fundadores do Colégio Brasileiro de Genealogia, foi eleito presidente em 1958 e reeleito em 1961, vindo depois a ser designado seu presidente vitalício. Foi escolhido patrono desta cadeira em vida, em 31 de maio de 1988 quando, já alquebrado pela doença, presidiu a Assembléia Geral de reinstalação do Colégio.

Escreveu, entre outros, os seguintes trabalhos:

  • Genealogia da Família Sá no Brasil  – AGB II, 367;
  • Jacob Rheingantz ( 1817-1877)- Fundador da Colônia de São Lourenço, Seus Ascendentes e Descendentes – RGB II, 261;
  • Os Últimos Povoadores da Colônia do Sacramento – Notas Genealógicas;
  • Uma Família de Marinheiros – descendência da Família de Lamare;
  • João Rodrigues da Silva e sua descendência – 1º volume, de parceria com Jorge Felizardo;
  • Rio seiscentista e a família Botafogo – Revista Brasil Genealógico I, nº 1 a 3;
  • Titulares do Império –  Genealogia Carioca título I;
  • A família Faro – Ascendência e Descendência;
  • Os Miranda de Pedra de Légua  – RGB, IV, 209
  • Povoamento de Rio Grande de São Pedro – A Contribuição da Colônia do Sacramento –  Anais do Simpósio Comemorativo do Bicentenário da Restauração do Rio Grande – 1776-1976
  • Famílias francesas no sul do Rio Grande do Sul ( Rio Grande, Pelotas e Bagé )
  • Verbetes Genealógicos Calado de Miranda e Figueiredo
  • Achegas Genealógicas à Ascendência Brasileira de Luiz Alves de Lima e Silva – Duque de Caxias –  em colaboração com Carlos Sayão Dantas;
  • O Falso Título do Visconde com Grandeza de Serro Azul  – Revista Brasil Genealógico;

Nos últimos anos de sua vida, em Petrópolis, dedicou-se à pesquisa genealógica dos primitivos colonos da cidade, chegando a publicar numerosos artigos na imprensa local. Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro e dos Institutos de Petrópolis e do Rio Grande do Sul.