CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Afonso D´Escragnolle Taunay
Patronos

Afonso D´Escragnolle Taunay

Historiador, nasceu na cidade de Nossa Senhora do Desterro, hoje Florianópolis, em 11 de julho de 1876. Filho dos Viscondes de Taunay, Alfredo Maria Adriano d´Escragnole Taunay e Cristina Teixeira Lerite Taunay.

Cursou a Escola Politécnica do Rio de Janeiro, formando-se em 1900 em Engenharia Civil.  Ainda estudante de Engenharia, ingressou no corpo docente da Escola Politécnica de São Paulo como preparador de Química, passando a Lente substituto em 1904 e a Titular da cadeira de Física Experimental em 1911.

Foi diretor do Museu do estado de São Paulo desde 1923; foi encarregado pelo governo federal para reorganizar a bIblioteca e o Arquivo do Ministério das Relações Exteriores em 1930; foi professor das Faculdades de Filosofia de São Bento e “Sedes Sapientiae”, de São Paulo, e regente da cadeira de História da Civilização Brasileira da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da Universidade de São Paulo ( 1935/37). Reestruturou o Museu Paulista, o qual dirigiu de 1917 a 1945, quando se aposentou.

Foi membro do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo; da Academia Brasileira  de Letras, como segundo ocupante da cadeira nº 1; da Academia Paulista de Letras, da Academia Portuguesa de História, e sócio correspondente de diversos Institutos Históricos estaduais.

Faleceu em São Paulo em 20 de março de 1958.

Historiador, professor, ensaísta, biógrafo, romancista, tradutor e lexicógrafo. Especializou-se no bandeirantismo paulista do Brasil Colônia, na literatura, na arte e ciência do Brasil. Como lexicógrafo respeitado, especializou-se principalmente na terminologia científica.

Sua obra compreende mais de 1400 títulos, em monografias, artigos, relatórios e conferências, além de 47 traduções, com especial destaque para os assuntos ligados à fundação de São Paulo, o ciclo das bandeiras, a cultura do café, os viajantes estrangeiros, a Missão Artística Francesa, as ciências naturais e os estudos genealógicos.

Na genealogia, destacamos:

  • Adenda à Genealogia Paulistana – Título dos Oliveiras
  • Ascendência paulistana e vicentina de .  ( Barão de Vassouras);
  • Duas palavras à genealogia da família D´Escragnolle;
  • Fernão Dias Paes Leme  e Pedro Taques;
  • Heráldica Municipal Brasileira;
  • Heráldica Municipal Paulistana;
  • Inéditos de Pedro Taque;s
  • Uma irmandade de grandes cafezistas – Os Teixeira Leite
  • Os irmãos Dias do Prado e Brás Esteves Leme
  • João Ramalho e Pedro Taques;
  • Nobiliarquia Cafeeira;
  • Nobiliário de D. Pedro II;
  • O Nobiliário do 1º Império;
  • Silva Leme e o povoamento do Brasil Central pelos pPaulistas

além de estudos biográficos de Pedro Taques, Silva Leme e do Cônego Macedo Leme.

Fontes: Carta Mensal, Colégio Brasileiro de Genealogia, nº 15, julho 1990; Academia Brasileira de Letras e Boletim do Instituto Genealógico da Bahia, 2005.