CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Theodoro de Souza Campos Junior
Galeria de Associados

Theodoro de Souza Campos Junior

Terceiro dos seis filhos de Theodoro de Souza Campos e Anna Henriques de Albuquerque Pinheiro, nasceu a 25 de fevereiro de 1903 em Campinas, Estado de São Paulo. Faleceu a 3 de fevereiro de 1992 em Campinas-SP. Cursou as primeiras letras no Liceu Salesiano N.Sra. Auxiliadora em sua cidade, seguindo depois para o Colégio São Bento, na capital. Graduou-se em Farmácia pela Escola de Farmácia e Odontologia de Pindamonhanga-SP, e em Medicina Veterinária pela Faculdade de Pouso Alegre-MG. Exerceu por um tempo a profissão de farmacêutico em Birigui, zona noroeste de São Paulo, adquirindo aí a Farmácia São Sebastião, e monde também chegou a possuir uma fazenda de café, pelos idos de 1929. Retornou à sua cidade natal, onde se estabeleceu, comprando a Farmácia Mertz, localizada no Largo do Rosário. Sua ficha de inscrição ao CBG, preenchida por ele, informava que não exercia as duas profissões (farmácia e veterinária) e se declarou “proprietário”. Católico fervoroso, integrou a Irmandade do Santíssimo Sacramento da Catedral, onde participou da administração e foi Provedor. A pedido do Arcebispo, D. Paulo de Tarso Campos, foi Diretor do Museu de Artes Sacras da Arquidiocese de Campinas. Integrante da Mesa Administrativa e Mantenedora da Pontifícia Universidade Católica de Campinas-PUCC. Acólito nas celebrações diárias do Templo Votivo a Jesus Sacramentado. Dentre outras, foi agraciado com as comendas: Cruz Pro Ecclesia Et Pontífice, pelo Papa João XXIII; Cruz Lateranense de Ouro – 1ª Classe, da Basílica de São João de Latrão de Roma; Grande Oficial da Ordem Eqüestre do Santo Sepulcro de Jerusalém, da Santa Sé; Cavaleiro da Graça Magistral da Soberana Militar e Hospitalar Ordem de Malta; Cavaleiro da Oficial Ordem do Mérito da República da Itália; Comendador “Ao Mérito Melitense” da Ordem Soberana e Militar de Malta; Cavaleiro da Ordem de Saúde Pública da República da França; Ordem da Estrela da Solidariedade Italiana; Cruz de Don Juan Lindo, do Instituto Brasil-Honduras – e outras mais. Participantes de diversas associações de humanitárias: Sociedade dos Amigos da Cidade de Campinas, Guardinha – Associação de Educação do Homem de Amanhã; Associação Brasileira de Amparo aos Leprosos; Lar Escola Maria Angela; Asilo dos Inválidos de Campinas, onde era sócio benemérito; Cruz vermelha Brasileira – também sócio benemérito; Santa Casa de Misericórdia de São Paulo, onde era irmão Remido; Cruzada Assistencial Paulista, que lhe outorgou Medalha da Caridade; e outras. Membro de inúmeras instituições culturais, dentro as quais citamos: Academia Campinense de Letras – fundador e secretário geral na primeira diretoria, eleita em 1956; IHGSP – Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo, que conferiu p Colar de D.Pedro I em 1980; Instituto Genealógico Brasileiro – membro do Grande Conselho; PEN Club de São Paulo; Sociedade Geográfica Brasileira – que lhe concedeu a Medalha da Ecologia em 1980; Associação dos Cavaleiros de São Paulo; Clube dos 21 Irmãos-Amigos, sociedade cívico-cultural de estudos do conhecimento dos estados brasileiros; Instituto Genealógico da Bahia; Centro de Ciências, Letras e Artes de Campinas. Associou-se ao Colégio Brasileiro de Genealogia em 30.03.1962. Considerado um dos grandes conhecedores da história de Campinas, entre seus trabalhos destaca-se a consistente participação na Monografia  Histórica do Município de Campinas, editada em 1952 pela Câmara Municipal  da cidade, tendo sido Presidente da Comissão Executiva do projeto e principal colaborador, escrevendo sobre a História da Fundação de Campinas, Titulares do Império, A Cultura do Café. São, também, de sua autoria: Monografia Histórica da irmandade do Santíssimo Sacramento da Catedral – 1847-1947; A vida religiosa de Campinas – em colaboração com J.L. Rodrigues, 1947; Campinas em Pedra e Bronze; A Família Souza Campos – Revista Genealógica Brasileira nº 2, 1940; Centenário do nascimento de Campos Salles – mesma Revista, nº 3. Depois de seu falecimento, por vontade testamentária, seu arquivo particular, biblioteca e mobiliário foram doados e incorporados ao Centro de Memória da UNICAMP – Universidade de Campinas.