CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Sylvio Campos Paes Barreto
Galeria de Associados

Sylvio Campos Paes Barreto

Filho de Felipe Lins Paes Barreto e Aurélia Campos Paes Barreto, nasceu a 21 de março de 1913 em Caruaru, Estado de Pernambuco. Casado no Rio de Janeiro a 01.08.1945, com Maria Cristina Lemoes Leão Dubeux (nascida a 10.12.196, no Recife, filha de Claúdio Leão Dubeux e Maria Carmen Lemos Leão Dubeux, proprietários da usina Utinga Leão, em Alagoas), sendo pais de Gilberto Dubeux Paes Barreto, arquiteto, nascido a 11.05.1946 no Recife, que lhes deu duas netas, Sylvia e Cláudia. Médico. Colou grau em Medicina pela Faculdade do Recife em 1935, especializando-se em oftalmologia. Foi Livre Docente e Auxiliar de Oftalmologia da Universidade Federal de Pernambuco desde 1951, e regente da mesma disciplina na Faculdade de Medicina do Rio Grande do Norte, de 1968 a 1970. Conselheiro na mesma UFRN. Chefe da Clinica Oftalmológica do Hospital Santo Amaro da Santa Casa da Misericórdia do Recife. Membro da Academia Pernambucana de Medicina, Sociedade de Medicina de PE, Sociedade Brasileira de Oftalmologia e Sociedade de Oftalmologia de PE. “Ao lado da Oftalmologia, Sylvio interessou-se por História e Genealogia. Provindo de um dos muitos ramos dos Paes Barreto, mais remotamente ligado aos morgados, desenvolveu extensas pesquisas sobre a família, mas só ao final da vida comprovou, definitivamente, descender do quarto morgado, Estevão Paes Barreto, pelo seu segundo filho, Felipe Paes Barreto. Aproximou-se dos grandes linhagistas Carlos Xavier Paes Barreto, Eugênio Mendonça Paes Barreto, Adalberto Brito, o Britinho, e Orlando Cavalcanti, entre outros, e com eles mantinha estreitos contatos e troca de informações. Dois traços importantes de Sylvio: a minúcia como pesquisador, preocupando-se com detalhes e com a comprovação documentada de cada informação obtida; e sua generosidade, anotando dados que pudessem servir aos amigos, em suas tradicionais fichas de arquivo, e repassando-as”. Membro do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, do qual era vice-presidente ao falecer; e do Colégio Brasileiro de Genealogia, ao qual se associou a 12.09.1988. Autor do trabalho Origens e brasões das Famílias Paes Barreto e Sousa Henriques de Pernambuco, Morgado do Cabo: história e genealogia, obra póstuma editada em 2014 pelo IAHGP. Faleceu no Recife a 10 de abril de 1998.

Base do texto: a supracitada obra “Morgado do Cabo: história e genealogia”