CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Rovílio Costa, Frei
Galeria de Associados

Rovílio Costa, Frei

Filho de Amilcare Costa e de Maria Montetto, nasceu a 20 de agosto de 1934 em Veranópolis, Estado do Rio Grande do Sul e faleceu a 13 de junho de 2009, na capital, Porto Alegre. Sacerdote, professor, escritor, historiador, pesquisador e editor. Na infância, foi acometido de meningite e passou três anos na cama, período em que despertou sua vocação religiosa, ao perceber como um sacerdote pode levar paz a um enfermo. Era licenciado em Filosofia e Pedagogia, Mestre em Educação e Livre Docente em Antropologia Cultural. Lecionou na Faculdade de Educação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde fundou e dirigiu por 15 anos a revista Educação e Realidade; e na EST – Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes, de Porto Alegre, da qual foi diretor. Como sacerdote, foi Vigário Paroquial em Ipê, Antônio Prado e em Porto Alegre – na paróquia Sagrada Família e da Igreja Maronita Nossa Senhora do Líbano.  Atuou na Penitenciária Estadual do Jacuí e no Presídio Central de Porto Alegre como coordenador de grupos, organizador de atividades sociais, religiosas e culturais. Colaborou com centenas de artigos para jornais de seu Estado: Correio Riograndense – de Caxias do Sul; Estafeta e Panorama Regional – de Veranópolis; e do Estado do Paraná: Jornal de Beltrão – de Francisco Beltrão, além das revistas Insieme – de Curitiba-PR, Teocomunicação – da PUC-RS, e Altreitalie – de Torino, Itália. Responsável por boa   parte do registro e do resgate da história da imigração no Rio Grande do Sul, fundou (1973) e dirigiu a EST Edições, pela qual foram se produziram 2.600 edições, com 2.400 títulos, envolvendo mais de três mil autores de textos e/ou livros versando sobre famílias, municípios, escravidão negra, e imigrações judaica, polonesa, italiana, alemã, açoriana e portuguesa, com destaque aos municípios originários de Santo Antônio da Patrulha. Muitas obras em dialetos italianos e alemães, resgatando línguas originárias, e propiciando alicerces ao resgate de identidades étnico-culturais. Membro do Instituto Histórico de São Leopoldo-RS, da Academia Rio-Grandense de Letras e da Academia Brasileira de Jornalismo. Associou-se ao Colégio Brasileiro de Genealogia em 22.10.1992, tendo ascendido a Sócio Adjunto em 30.07.1993. Recebeu diversas menções e distinções, entre elas Medalha Simões Lopes Neto, Amigo do Livro, Prêmio Literário Érico Veríssimo, Prêmio Ilha de Laytano, Comenda Negrinho do Pastoreio, Comenda Dante de Laytano, Cidadão Honorário de Porto Alegre. Cidadão Italiano, era Ufficiale dell’Ordine al Merito della Repubblica Italiana. Patrono nas feiras do livro de Novo Hamburgo e Bom Jesus (2002), Veranópolis (2003), Carlos Barbosa e Veranópolis (2008) e, pouco antes de falecer, da 51ª Feira do Livro de Porto Alegre, que teve como país homenageado a Itália, a fim de lembrar os 130 anos da imigração italiana no Estado. Personalidade da 49ª Feira do Livro de Porto Alegre (2003). Por meio da doação de milhares de livros, ajudou a criar inúmeras bibliotecas em municípios gaúchos. Patrono de bibliotecas públicas em São José do Ouro, Bento Gonçalves e Carazinho. Autor de Psicologia da fraternidade religiosa, 1973; Sociopsicologia, 1973; Personalidade e ciência social, 1974; Primado da pessoa na vida cristã, 1974; Imigração Italiana no RS: vida, costumes e tradições, 1975; Antropologia visual da Imigração italiana, 1976; Descrição dos antecedentes da delinqüência juvenil em Porto Alegre, 1976; Delinqüência juvenil: antecedentes, 1976; Os italianos do RS, 1980; Assim vivem os italianos, 3 v., 1982; Práticas de comunicação, 1983; Imigração Italiana no RS: fontes históricas, 1988; Povoadores da Colônia Caxias, 1992; Colônia Caxias: origens, 1993; Colônias Italianas Dona Isabel e Conde d’Eu, 1991; Povoadores das colônias Alfredo Chaves, Guaporé e Encantado, 1997; Os capuchinhos do Rio Grande do Sul, 1996; Povoadores de Cotiporã, 2 vs. 1998; Raízes de Veranópolis, 1998; Duas Itálias, 2000; História, estórias e poesias, 2003; História e estórias, 2001; Histórias, estórias e orações, 2003; Far la Mèrica, 1991; Gli Italiani del RS, 1987; La presenza italiana nella Storia e nella cultura del Brasile, 1990. Por mais de dez anos, sua editora Est vinha publicando códices do Arquivo Histórico do Rio Grande do Sul e do Arquivo Público do Estado, propiciando ferramenta primária a pesquisadores, historiadores e escritores, tais como Povoadores da Colônia Guarani, Povoadores do Rio Grande do Sul: 1892; Povoadores do Rio Grande do Sul: 1857-62 (alemães), e outros. Nos últimos anos de vida, editou – sempre pela Est – códices da Imigração alemã e numerosa documentação sobre africanos, deixando em publicação as alforrias do Rio Grande do Sul, imprescindíveis para os estudos da Escravidão no Estado, além de ter reunido, sobre o tema, mais de um milhão de páginas documentais sobre relação de habilidades, Compras e vendas de Escravos, Ocorrências, Enfermidades, Óbitos e Funerais, que não teve tempo de editar.