CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Raúl Alejandro Molina
Galeria de Associados

Raúl Alejandro Molina

Filho de Vitor Manuel Molina Arenas, Ministro da Fazenda do Presidente Alvear e Genoveva Seijas Machado, nasceu a 05 de maio de 1897 em Buenos Aires, capital da Argentina. Casou a 09-06-1924 também em Buenos Aires com Emilia Franchini, filha de Carlos Franchini e Clotilde Dominoni. Pais de uma única filha: Hebe Maria Molina Franchini, nascida em 20-09-1925. Faleceu em 26 de agosto de 1973. Advogado, escritor, historiador, numismático, político e genealogista. Cruz de Ouro da Ordem do Mérito Civil da Polônia, outorgada pelo Governo no exílio com sede em Londres. Político: Na juventude, iniciou-se na atividade política ao lado de seu pai, chegando a ser deputado, mas logo abandonou. Advogado: Bacharelou-se em Direito em 1922, pela Faculdade de Direito e Ciências Sociais da Universidade Nacional de Buenos Aires, seguindo carreira na área do Direito Público, Municipal e Financeiro. Foi advogado da Província de Mendoza (1923-1928); Assessor das Caixas de Previdência Social (1923) e da Comissão Lei 12.289 (1926-1928); advogado da Contribuição Teriotiral (1928-1931); advogado Síndico da S.A. Dominoni Ltda (1923-1930); Diretor Jurídico da Sociedade Econômica Financeira (1923-1940) e advogado da Sociedade dos Abastecedores (1933-1940). Historiador: Fundador da revista História em 1955, que manteve e dirigiu até 1968. Fundador e presidente do Instituto Ruy Diaz de Guzmán; fundador e presidente do Instituto Histórico Juan José Paso; vice-presidente da Comissão de Estudos Históricos de Balvanera. Membro da Academia Nacional de História; Instituto de História do Direito Argentino; Sociedade Argentina de Estudos Históricos Franceses; Instituto Bouchard de Estudos Históricos Navais; e presidiu; Instituto Saavedriano; Colégio Heráldico de Buenos Aires; Real Academia de História de Madrid, Espanha; Instituto Histórico e Geográfico do Uruguai; Instituto Histórico do Peru, e muitos outros. Autor de:  Hernandaria, El Hijo de La Tierra – sua obra máxima, primeiro prêmio nacional de História, Arqueología e Filologia do triênio 1946-48; Las Primeras Reducciones Franciscanas y Jesuíticas – 1943; Fray Martin Ignacio de Loyola –1948; Primeros Médicos de la Santisima Trindad – 1948; Don Diego Rodríguez de Valdez y de la Banda – el Tercer Gobernador del Paraguay desde la repoblación de Buenos Aires – 1949; El Municipio de La Conquista – 1949; Las Ruínas de Cayasta son de la Vieja Ciudad de Santa Fe fundada por Garay – em colaboração com Guillermo Furlong – 1954; Misiones argentinas en los archivos europeos – 1956; Mitre investigador – 1958; Las actividades comerciales en el Río de la Plata en el siglo XVII ; além de inúmeros artigos publicados em revistas e boletins, como o Boletim da Academia Nacional de História, Revista do instituto de História do Direito Argentino Dr. Ricardo Levene; suplemento literário do jornal La Nación, etc. Integrou diversas Comissões Nacionais de História, e participou de inúmeros congressos regionais, nacionais e internacionais de História. Genealogista: Membro do Instituto Argentino de Ciências Genealógicas, onde ingressou em 07-06-1945. Vice-presidente de 1952 a 1963; presidente de 1963 a 1968. Em 7 de junho de 19765, Membro Vitalício. Por seu empenho, foi criada a revista do Instituto, que batizou com o nome de “Genealogia”, e da qual foi diretor por vários anos. Membro do Instituto Chileno e Peruano de Investigações Genealógicas; Instituto genealógico Brasileiro; Sociedade Heráldica e Genealógica Boliviana; Academia Guatemalteca de Estudos Genealógicos, Heráldicos e Históricos; e Academia Costariquenha de Ciências Genealógicas. Ingressou no Colégio Brasileiro de Genealogia em 08 de março de 1954. Sua mais importante obra: o Diccionário Biográfico de Buenos Aires (1580-1720)s, publicado post-mortem, reunindo mais de 10.000 pessoas. Autor dos seguintes trabalhos publicados na revista “Genealogia” citada: La Pregonería en la Ciudad de la Trinidad; Los nacidos en la tierra; Orientaciones de la genealogía moderna; Los Casco de Mendoza y los Vera y Aragon – 1949; Salvador Correa de Saa y Benavides, un héroe americano ligado al Brasil y a la Argentina; Don Jerónimo Luis de Cabrera y la Caballeria de Santiago; Antón Higueras de Santana, el andaluz de las cuatro estancias, Vecino fundador de Buenos Aires; Hombres del 9 de Julio.

Fonte principal: Boletim 4, 1973 – do Inst. Argentino de Ciências Genealógicas, gentilmente disponibilizado pelo genealogista portenho Juan Cruz Jaime.