CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: José Marcelo de Alcântara Pinto
Galeria de Associados

José Marcelo de Alcântara Pinto

Filho de Miguel Xavier Pinto e Maria Alcântara Pinto, nasceu a 27de março de 1914 em Fortaleza, Estado do Ceará. Casou-se duas vezes: do primeiro matrimônio, houve dois filhos: Lilia Maria e Miguel Antônio. Do segundo matrimônio, com Marly Carvalho Passeri, não houve geração. Faleceu em 9 de julho de 1989, no Hospital Escola Jarbas Passarinho, em Vassouras-RJ, vítima de pneumonia e parada cardíaca. Advogado, jornalista e professor. Bacharelou-se em Ciências Jurídicas e Sociais pela Faculdade de Direito do Ceará a 8.12.1936. Magistério: Professor do Colégio Militar do Ceará (1937-38); do Colégio Floriano, em Fortaleza-CE (1939); da Escola de Aprendizes Marinheiros do CE (1940-50); Livre Docente da faculdade de Ciências Enconômicas do CE (1942-49); do Americano, em Fortaleza-CE (1943-50); do Colégio Marista, em Fortaleza (1943-46); da Academia de Comércio, em Fortaleza (1945-50); da Academia de Comércio Carlos de Carvalho, na mesma cidade (1946-50); do Curso de Formação de Assessores de Empresa do Centro Nacional de Produtividade Industrial da Confederação Nacional da Indústria (1968); de Estudo de Problemas Brasileiros na Faculdade de Filosofia e Letras da Fundação Educacional Severino Sombra (1970-75 e 1984-86) e na Faculdade de Medicina (1973-75), ambas em Vassouras-RJ. Assistente do Coordenador do Curso de Pós-Graduação Latu Sensu da Fundação Educacional Severino Sombra de Vassouras-RJ (1985-88). Advocacia: advogado nos auditórios do estado do ceará (1937-50); aprovado em 1º lugar para juiz de direito do CE (1940); advogado do Departamento Nacional do SESI – Serviço Social da Indústria (1952-60); Procurador de 1ª Categoria da Confederação Nacional da Indústria (1961-73); advogado nos auditórios do Rio de Janeiro (1952); procurador de 1ª categoria do IAPC – Instituto de Aposentadoria e Pensão dos Comerciários (1955); advogado da Federação das Indústrias do RJ – então estado da Guanabara (1955-67); advogado do Centro Industrial do Rio de Janeiro (1955-67); Procurador-Chefe Estadual do IAPC, na Guanabara (1965); Assessor Jurídico do Conselho Nacional dos Desportos (1964-67), do Conselho Diretor do IAPC (1965-66), do Conselho Fiscal do INPS (1967-68); Procurador Geral do Departamento Nacional do SESI (1967-70). Jornalismo: Redator dos jornais O Noroeste, do Ceará, e Tribuna do Interior, de Vassouras-RJ (1988-89). Trajetória funcional: Secretário do Governador do estado do ceará (1946-47); Assistente do Presidente do IAPC (1954); Membro efetivo da Comissão do Imposto Sindical – Ministério do Trabalho (1962-64); na Procuradoria Estadual do IAPC, na Guanabara, foi: Chefe da Consultoria (1960-62), Chefe da Assistência Judiciária (1963), Chefe do Contencioso (1964); Secretário do Conselho Nacional do SESI – Serviço Social da Indústria (1964-77); membro efetivo da Segunda Câmara do Conselho Superior de Tarifa – Ministério da Fazenda (1968-71); Membro efetivo da Terceira Câmara do Conselho Superior de Tarifa e seu vice-presidente (1971-73); membro efetivo da Quinta Câmara do 1º Conselho de Contribuintes – Ministério da Fazenda (1974). Aposentou-se como Procurador federal (do Ministério da Previdência Social. Radicou-se em Vassouras-RJ em 1984. Homem religioso, foi Secretário da Casa Paroquial. Publicou diversos artigos históricos em jornais de Fortaleza-CE e do Rio de Janeiro, na Tribuna do Interior e na revista do Instituto do Ceará. Em Vassouras, a base de sua pesquisa histórico-genealógica eram os livros da Irmandade de N. Sra. da Conceição, a Biblioteca Municipal e os Cemitérios de N.Sra. da Conceição e Municipal. Entre outros, são de sua autoria os artigos: Estrada de Ferro D. Pedro II e o Ramal de Vassouras – jornal Tribuna do Interior, edições nº 39 a 44; Subsídios para a História da irmandade de N Sra da Conceição da cidade de Vassouras – nºs 45 a 59; Aspectos da escravatura em Vassouras – nos. 60 a 68; Asilo Barão do Amparo – edição especial 67; Nota à Genealogia das Famílias Vassourenses – edições 70 a 76 de junho de 1989.