CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Henrique Carneiro Leão Teixeira Filho
Galeria de Associados

Henrique Carneiro Leão Teixeira Filho

Filho do primeiro casamento de Henrique Carneiro Leão Teixeira com Idalina Eulália  Sayão  Veloso Lamberti, nasceu no Rio de Janeiro – RJ a 11 de dezembro de 1896. Neto do Visconde do Cruzeiro. Casado a 11.05.1922, no Rio de Janeiro-RJ com Maria de Souza Leão. Filhos: Henrique, Maria Celina, Maria Luiza, Ana Maria, Ida Maria e Maria Lúcia. Faleceu a 11 de janeiro de 1964 no Rio de Janeiro-RJ. Engenheiro civil. “Ainda no berço, com apenas 16 dias de nascido, perdeu a mãe, sendo confiado aos cuidados de sua tia paterna Maria Henriqueta Teixeira de Alencar Lima, em cujas residências, em Petrópolis e no Rio de Janeiro, foi criado carinhosamente até os 9 anos. Fez os primeiros estudos em Petrópolis-RJ, com D. Beatriz Smith de Vasconcelos; depois, no Rio, com D. Annah Felicia dos Santos e em Petrópolis, com o prof. Antonio Gabriel Coutinho Fróes. Em 1908, matriculou-se no Colégio Anchieta, de Nova Friburgo-RJ. Em 1910, transferiu-se para o Colégio Paula Freitas, no Rio de Janeiro. Cursou a Escola Politécnica do Rio de Janeiro (hoje Escola de Engenharia da UFRJ – Universidade Federal do RJ), formando-se engenheiro geógrafo (1918) e engenheiro civil (1920). Quando estudante, prestou o serviço militar como Voluntário de Manobras, assentando praça no 3º Regimento de Infantaria. Auxiliar-técnico, diarista, em 1920, na Companhia de Melhoramentos dos Rios da Baía do Rio de janeiro, da Inspetoria de Portos, Rios e Canais. Engenheiro-ajudante, depois engenheiro-residente nas obras de Manguinhos e, por fim, engenheiro-chefe de campo na Empresa de Melhoramentos da Baixada Fluminense. Diretor de Obras e Viação da Prefeitura de Petrópolis-RJ (1924-1927). Empreiteiro na construção da Estrada Rio-Petrópolis (1927-1928). Engenheiro da Cia. Mercado Municipal do RJ (1932-1938). Diretor de Engenharia da Prefeitura de Petrópolis (1938-1940). Diretor da CADIB – Cia. Interamericana de Intercâmbio (1941-1955). Diretor da Sociedade Brasileira de Participações e Financiamentos (1941-1945). Diretor da Cia. Imobiliária de Petrópolis (1951-1955). Membro da Comissão Executiva que, em 1925/26, dirigiu em Petrópolis a comemoração do Centenário de D.Pedro II, incluindo a Exposição Industrial do Município. Examinador do concurso para catedrático de História do Brasil da faculdade de Filosofia da Universidade do Brasil (hoje UFRJ). Lecionou História do Brasil na PUC – Pontifícia Universidade Católica – RJ (como professor substituto). Professor de História Diplomática do Brasil no Instituto Rio Branco do Ministério das Relações Exteriores (1959). Foi distinguido com a Medalha Koeler, por relevantes serviços prestados a Petrópolis. Integrou comissões organizadoras de congressos, entre elas, a do 3º de História Nacional, comemorativo do Centenário do IHGB – Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, para onde fora eleito sócio efetivo em 22-08-1931 e, mais tarde, chegaria a benemérito a 20-06-1951. Foi 3º vice-presidente (1959-1960). Em 1938, foi um dos fundadores do Instituto Histórico de Petrópolis e seu primeiro presidente – cargo que exerceu durante 4 biênios (1938-1946), e vice-presidente de 1953 a 1958, reeleito presidente 1958-1960”. Associou-se ao Colégio Brasileiro de Genealogia em 1954, integrando o Conselho Fiscal em 1955. “Sobre assuntos históricos, publicou cerca de 20 trabalhos na Revista do IHGB, entre os quais: Tentativa de golpe de Estado. A Constituição de Pouso Alegre e a atitude de Honório Hermeto (1931 – Anais do 2º Congresso de História Nacional); O Conselheiro de Estado e Senador do Império Jerônimo José Teixeira Jr., visconde de Cruzeiro (v. 164, 1931); O Conselheiro Luiz Felipe de Souza Leão (v. 166, 1932); À margem de uma Conferência. O Conselheiro Paulino e o visconde do Cruzeiro (v. 169, 1954); Caxias: cidadão político (v. 173, 1938); O Conselheiro Soares Brandão (v. 175, 1940); O Inconfidente Resende Costa (v. 176, 1941); Honório Hermeto na fundação de Petrópolis e alguns traços de sua personalidade (v. 236, 1957); Justiniano da Rocha, biógrafo do marquês do Paraná (Anais do 3º Congresso de História Nacional, 1938); Atitude parlamentar de Teixeira Junior (idem); A presidência do Rio de Janeiro em 1842 (Anuário do Museu Imperial, 1945).

Fonte: Dicionário Biobibliográfico de Historiadores, Geógrafos e Antropólogos – IHGB.