CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Hélio Abranches Viotti, Padre
Galeria de Associados

Hélio Abranches Viotti, Padre

Filho de Policarpo de Magalhães Viotti e Marieta Abranches Viotti, nasceu em São Paulo, capital do Estado de São Paulo, a 15 de outubro de 1906. Faleceu no dia 28 de novembro de 2000, em Belo Horizonte, Minas Gerais, aos 94 anos. Sacerdote jesuíta. Cursou o ensino médio no Colégio Anchieta da cidade serrana fluminense de Nova Friburgo, Aos 15 anos entrou para o Noviciado na Companhia de Jesus. No Colégio Máximo, de Nova Friburgo, cursou Filosofia e Ciências & Letras. Lecionou diversas disciplinas, especialmente História do Brasil. Em 1934, foi cursar Teologia na Argentina, no Colégio0 Máximo de São Miguel, ordenando-se sacerdote em 19 de dezembro de 1936, em Buenos Aires. Em 1938, fez a Terceira Provação em Montevidéu e retornou ao Brasil, Rio de Janeiro, cumprindo os Últimos Votos, em 15 de agosto de 1939. Licenciado em Teologia e Doutor em Filosofia. Brilhante orador. Diretor do Colégio São Luís, em São Paulo, de 1946 a 1949.  Fundador e primeiro Diretor da Faculdade de Economia São Luís, em 1948. Professor de Doutrina Católica na Faculdade de Filosofia Sedes Sapientiae de 1949 a 1952. Reitor do Colégio Antonio Vieira, em Salvador, Bahia, de 1958 a 1959. Diretor da Casa de Anchieta – Monumento Histórico da Fundação de São Paulo, desde 1969. Foram tão profundos seus estudos sobre a vida de Anchieta, que acabou por se transformar na maior autoridade sobre esse Padre jesuíta, tendo liderado o processo de beatificação e postulado a causa da canonização de Anchieta. Foi seu livro “Anchieta, o Apóstolo do Brasil” que serviu de base ao Vaticano para o processo de beatificação. Membro das Academias: Paulista de Letras, onde ocupou a Cadeira nº 9; Paulista de Educação – onde ocupava a Cadeira nº 3, Cristã de Letras e Paulista de História. Membro dos Institutos Históricos e Geográficos de: São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, e São Vicente-SP; do Instituto Histórico, Geográfico e Genealógico de Sorocaba-SP; do Instituto Genealógico Brasileiro; da Associação de Professores Universitários de História e da Sociedade de Estudos Históricos. Sócio Correspondente do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro. Diretor do Arquivo da Cúria Metropolitana de São Paulo (1972-1981). Secretário do Cardeal Paulo Evaristo Arns, Arcebispo de São Paulo. Foi Capelão Militar, no posto de Capitão, da FEB – Força Expedicionária Brasileira na Itália de 1944 a 1945., e por isso fazia jus a soldo de militar da reserva, que sempre destinou aos mais necessitados. Autor de cerca mais de 200 artigos em revistas e jornais, a maioria versando sobre os jesuítas no Brasil, entre eles: Anchieta e o Mar – in Anuários de Estúdios Atlánticos , Madri-Las Palmas, 1957; Los Fundadores de São Paulo – in Razón y Fé, Madrid, 1954; A Concepção Católica da Economia Política e Social – in revista Verbum da PUC-Rio, 1948; Félix Guisard – 1962; Anchieta e a Eucaristia – 1955; Anchieta, autor do Poema de Mem de Sá – 1963; Anchieta e a Coligação dos Tamoios – 1966; e muitos outros. Entre seus livros, podemos citar: Padre Serafim Leite, S.J.; O Anel e a Pedra; A Causa da Beatificação do Venerável Padre José de Anchieta – 1953; o citado acima Anchieta – O Apóstolo do Brasil – 1966, primeiro lugar no concurso do Dia Nacional de Anchieta; Nóbrega e Anchieta – memória Literária – 1975;  Anchieta na Arte – em coautoria com o padre Murilo Moutinho, 1980; Correspondência Ativa e Passiva – 1984; e Sermões e Textos Históricos.