CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Dermeval José Pimenta
Galeria de Associados

Dermeval José Pimenta

Nasceu em São João Evangelista-MG, então pertencente ao Município de Peçanha, a 6 de fevereiro de 1893, o décimo dos 18 filhos do Coronel Cornélio José Pimenta e de Josefina Carvalho de Souza. Cursou os primeiros anos (1902-1905) Escola Pública de sua cidade, e o secundário no Seminário de Diamantina-MG. (1906-1911). Formou-se Engenheiro de Minas e Civil na Escola de Minas de Ouro Preto, em junho de 1918. No ano seguinte, ingressou como Engenheiro na Estrada de Ferro Central do Brasil, no serviço de obras do Ramal de Mariana a Ponte Nova, transferindo-se, em 1921, para a Estrada de Ferro Paracatu, onde exerceu o Cargo de Engenheiro-Residente e Engenheiro Chefe das obras de construção. Em 1925, deixou a Estrada de Ferro, e foi ser fazendeiro na Fazenda das Casuarinas. Em São João Evangelista foi Presidente da Cia. Força e Luz, Presidente da Câmara e Agente Executivo do Município. Foi Engenheiro-Chefe da Fiscalização das Obras de renovação em Poços de Caldas-MG, Chefe da Contabilidade Geral e dos Departamentos Financeiro e de Transportes da Rede Mineira de Viação, e Diretor de 1937 a 1943. Secretário de Estado da Viação e Obras Públicas, no governo de Benedito Valadares (1943/1945). Foi o segundo presidente da Cia. Vale do Rio Doce, nomeado pelo Presidente Eurico Gaspar Dutra em 1946. Permaneceu no cargo até 1951, quando voltou ao serviço do Estado de Minas Gerais, para exercer seu segundo mandato como Diretor-Geral da Rede Mineira de Viação, por 10 anos. Em 1961, passa a Presidente da Diretoria na Companhia Aços Especiais Itabira S/A, onde fica até 1964. Do Conselho Federal de Economistas Profissionais, pelas suas obras sobre assuntos econômicos, recebeu a habilitação profissional de Economista. Presidente do Rotary Club de Belo Horizonte (1937-1938); Vice-Presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais (1961-1964 e 1965-1967); Diretor do Departamento de Estudos Econômicos da Federação das Indústrias de Minas Gerais (1952-1958);Vice-Presidente (1936-1937), Presidente do Conselho Consultivo e Deliberativo (1936-1937) da Sociedade Mineira de Engenheiros Membro da Assembléia Escolar da Escola de Minas de Ouro Preto. Além do Colégio Brasileiro de Genealogia, era membro do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, do qual foi Presidente de 1969 a 1976; do Conselho Estadual de Cultura e do Conselho de Administração do Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais. Recebeu a “Medalha de Honra da Inconfidência”, concedida pelo governo do estado de Minas Gerais. Casou-se a 01.12.1927 com Lúcia Pinheiro, filha do ex-Presidente do Estado de Minas Gerais, João Pinheiro da Silva e de Helena de Barros Pimenta. Desse matrimônio houve 10 filhos: Helena Josefina, Dermeval Filho, Cornélio Otávio, Déa Lúcia, João Carlos, Ângela Maria, Marina Heloísa, Nilza Maria, Josefina Lúcia e Lúcio Otávio. Faleceu em agosto de 1981, aos 98 anos, em Minas Gerais. Publicou, entre outros: Angra dos Reis, 1933; Os mineiros no Sul-fluminense – 1934; Evolução das estradas em Minas – 1944; Companhia Vale do Rio Doce – 1947; O minério de ferro na economia nacional – 1950; O transporte de minério de ferro em larga escala do centro de Minas Gerais para o Litoral – 1952; A posição do engenheiro na evolução social do Brasil – 1953; Posição de Minas Gerais na exportação de Minério de ferro – 1954; Aspectos econômicos de Minas Gerais – 1955; A indústria extrativa mineral no Estado de Minas Gerais – 1955; Estradas de Ferro eletrificadas do Brasil – 1957; Rede Mineira de Viação : Relatórios referentes aos anos de 1958 a 1942 e de 1951 a 1959; Conselheiro Cristiano Benedito Ottoni – 1951;  e A mata do Peçanha: sua história e sua gente – 1966. Este último livro aborda a história da região (34 municípios), traçando a genealogia dos fundadores, moradores e suas famílias. Faleceu em Minas Gerais, aos 98 anos, em agosto de 1991.