CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: António Pedro Maria da Luz de São Payo Melo e Castro
Galeria de Associados

António Pedro Maria da Luz de São Payo Melo e Castro

Filho do Conde de São Payo e de D. Maria Madalena d”Azevedo, nasceu a 24 de julho de 1902, no Porto, Portugal. Casou em Lisboa com Maria do Carmo C. Castel-Branco, filha do Dr. C.C. Castel-Branco e Maria do Carmo Zuzarte Sárria. Pai de Maria Beatriz, Maria Madalena e Maria Inês. Faleceu a 05 de junho de 1981. Advogado e diplomata. Bacharelou-se pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. Começou carreira na diplomacia, mas após algum tempo, abandonou, para dedicar-se de maneira exclusiva aos estudos de História, Genealogia e Heráldica. Presidente do Instituto Português de Heráldica. Vice-presidente da Associação Internacional de Heráldica (Paris, França) e do Instituto Internacional de Genealogia e Heráldica (Madri, Espanha). Membro da Academia Portuguesa de História, na qual ingressou em 1938; do Colégio Heráldico de Roma (Itália) e da Academia Internacional de Heráldica (Genebra, Suíça), além de membro de diversas outras instituições culturais. Restaurou a edição do boletim do citado Instituto Português de Heráldica, Armas e Troféus, do qual foi Diretor por vários anos. Cavaleiro da Ordem da Malta. Autor da importante obra Do Direito Heráldico Português. Publicou seu primeiro artigo sobre Heráldica em 1922, de título A Púrpura, além de incontáveis outros trabalhos históricos, de genealogia e heráldica, dos quais citamos:  As coroas murais nas armas de domínio portuguesas; Armas municipais derivadas de selos reais; A Heráldica nos usos e costumes funerários; Heráldica de Família: as armas dos Reis D. João I e D. Manuel I, Infantes D. Pedro e D. Henrique, Vasco da Gama e Afonso de Albuquerque; Breve História sobre a Casa de Bordonhos; O Paul dos Boquilobos. Os seus pretendentes e os seus senhores; Famílias de Alentejo: Caldeiras, Castelos-Brancos, de Porto Alegre e Alter Chão; A ascendência de São João de Brito; Genealogias (do Século XVIII); Uma Família Transmontana na Restauração; Dom António Pereira Coutinho. A sua Família. A sua ascendência; Os Coutos de Paradela e Mazareres; A propôs dês Lusignans, Lês Moniz Lusignan, du Portugal – Roma, 1923; Uma carta inédita de parentesco e brasão de armas: Os Vasconcelos Vilalobos; O Título Don; Tombo Histórico Genealógico de Portugal; A Heráldica no Museu do Carmo; Cancioneiro da Armaria; A Heráldica Portuguesa – Barcelona, 1930;  Ciência Heráldica e a sua cultura em Portugal – Barcelona, 1930; Ricos-Homens de Portugal e Castela – Barcelona, 1931.