CBG – Colégio Brasileiro de Genealogia: Adauto Dias de Alencar
Antigos Titulares

Adauto Dias de Alencar

Filho de Francisco Dias de Alencar e Gertrudes da Silva Pereira, nasceu em Assaré, Estado do Ceará a 10 de agosto de 1931. Advogado e professor. Cursou o primário no Rio de Janeiro e parte do curso ginasial em Cuiabá-MT, retornando à capital fluminense onde fez o 2º Grau na Moderna Associação Brasileira de Ensino e formou-se em Direito pela Faculdade Cândido Mendes. Formou-se ainda em Filosofia – cadeira de Letras, vindo a exercer o magistério na Universidade Federal de Mato Grosso, lecionando latim e literatura portuguesa. Retornou a Mato Grosso em 1965, sendo nomeado diretor da Escola Normal Dr. Hermes Rodrigues de Alcântara, de Santo Antônio do Leverger, e em seguida nomeado para promotor de Justiça, na mesma cidade e, posteriormente, procurador fiscal. Aprovado em concurso, foi nomeado defensor público no Estado de Mato Grosso, designado para Cáceres, de onde foi transferido para Campo Grande e mais tarde para Cuiabá, onde assumiu toda a defesa no Tribunal do Júri. Exerceu também advocacia em Cuiabá, sendo nomeado delegado regional. Em 1988, foi procurador do Estado lotado na Procuradoria Geral do Estado, aposentando-se em 1992 na função de chefe da Procuradoria de Assistência Judiciária. Casou-se duas vezes, sendo pai de Ana Rosa, Eloy e Francisco. Membro da Academia Mato-grossense de Letras, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso; da Asbrap – Associação Brasileira de Pesquisadores de História e Genealogia; e do Centro Cultural do Cariri [Crato, CE]. Associou-se ao Colégio Brasileiro de Genealogia em 09.05.1989, passando a Sócio Adjunto em 28.06.1991 e Titular em 14.12.1995, segundo ocupante da Cadeira nº 2, desligando-se em 21.11.2006. Foi também participante da comissão que oficializou o Hino de Mato Grosso, em 1983. Especializou-se na pesquisa e na investigação da história de Mato Grosso, na área de genealogia, produzindo diversas obras literárias em prosa e em verso. Autor de: “A Família Almeida Borralho”, na Revista do IHGMT nº LI; “A Família Azeredo em Mato Grosso”, na mesma Revista, nº LIV; “Roteiro histórico e genealógico de Assaré”, na revista da faculdade de Filosofia do Crato, a árvore de costado do Presidente Eurico Gaspar Dutra; destacando-se a série “Roteiro Genealógico Mato-grossense”, em diversos volumes; diversos romances, além de poesias e crônicas publicados em jornais do Estado de Mato Grosso. Faleceu aos 83 anos, na sua residência em Cuiabá-MT, no dia 16 de outubro de 2013, tendo sido sepultado no dia seguinte, em cemitério localizado no bairro do Porto.